Um Panorama Sombrio sobre Xas Irkalla

Seja engolido por terrores nos desertos sombrios e escarpas ameaçadoras de Xas Irkalla, um RPG brutal de sobrevivência e decadência, de luta e derrota. No mundo de Irkalla o desespero e a desesperança são ligados e indissociáveis, como duas faces da mesma moeda. Uma dimensão de pavores, onde as fagulhas de aventura alimentam as piras funerárias, soprando as cinzas dos mortos nos horizontes sombrios. Neste lugar de infortúnios a autonomia se limita em sobreviver às ameaças que se amontoam a cada novo território explorado. 

Em Xas Irkalla os jogadores incorporam os Limiarianos, seres trazidos de universos diferentes após estes terem sido mortos. As memórias fracas destas mortes marcam os Limiarianos, que renascem nus e perdidos no Labirinto para servirem de escravos à misteriosa entidade do Olho Sobre o Trono. Os Limiarianos, entretanto, não estão sozinhos. Conectados telepaticamente, os jogadores compartilham pensamentos, emoções e sofrimento, e juntos devem buscar sobreviver, e alcançar algum nível de poder e domínio nas planícies da dor e nos rios que borbulham sangue.  

Em Xas Irkalla a brutalidade não permite que os jogadores conheçam sua proximidade do fim definitivo, nem possuam formas mecânicas de se  resguardarem das ameaças e riscos. Neste jogo aplica-se o sistema Strain, no qual os personagens se equilibram entre Estresse e Perdição através da mera chance fornecida pelos dados. Aqui, os jogadores não possuem pontos de vitalidade, mas a verdadeira chance de simplesmente morrerem. Sobreviver é um imperativo, e cada Limiariano morto fornece ao próximo trazido a Irkalla apenas o Medo da Morte. Em Xas Irkalla a violência e o assombro são os acompanhamentos, e o prato principal é você.

Experimente o medo verdadeiro nesse RPG brutal de sobrevivência, em um mundo inspirado no black metal e na mitologia mesopotâmica. Tenha coragem de enfrentar 

o seu destino, em Xas Irkalla.


– Pedro Ribeiro Nogueira

1 comentário em “Um Panorama Sombrio sobre Xas Irkalla”

Deixe uma resposta para Antonio C Pereira Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: